Monte Verde, 4 dias para conhecer o melhor da cidade 2021!

Decidimos a viagem de última hora para passar a virada de ano, reservamos o hotel e pé na estrada (fomos de carro saindo de BH). Aqui vou deixar as dicas que achei mais relevantes, fizemos um roteiro bem livre de acordo com o dia e humor, recomendo fazer o mesmo rs.

Só para constar: viajamos durante a pandemia, em período de chuva e com carro baixo, o que nos impossibilitou de fazer alguns passeios.

O que fazer em Monte Verde?

Comer!

Sim! Comer é com certeza a missão mais importante nessa cidade com trilhões de boas opções. Vou deixar aqui dicas dos que mais gostamos, e vá preparado, é onde o dinheiro fica rs.

Uma dica: Os restaurantes quase sempre cobram couvert artístico quando tem uma pessoa ou uma banda tocando, o valor pode variar entre R$ 8,00 a R$ 20,00. Sempre confira na conta se o restaurante não está cobrando os 10% da taxa de serviço sobre o valor total com couvert, isso está errado e você acaba deixando uns reais a mais do que deveria.

Mamma Tera – A média de valor para pratos individuais é R$ 60/ R$ 70 e pratos compartilhados a partir de R$ 98. Outra vantagem dele é que não tem pagamento de couvert artístico.

Mamma Tera

Restaurante Italiano. Foi indicação preciosa de um habitante local. Ele fica um pouco mais afastado da rua principal, tem uma arquitetura bem toscana (italiana) e aconchegante. Fomos super bem atendidos na noite de Réveillon. Ele é famoso por seu Nhoque, mas pedimos pratos individuais com Filet Mignon que estavam simplesmente divinos. Veja Aqui.

Restaurante da Drika

Esse fica depois do centro já fora da área turística. A comida é boa, bonita e barata. Pratos mineiros fartos a um preço justo. Ótimo para intercalar com os bambambam da cidade.

Restaurante da Drika – Nessa foto o filet com tutu, couve e arroz por R$ 60,00 que serve muito muito bem 2 pessoas.

Bistrô Rock Bar

Música boa (rock alto, pra quem gosta), bem no meio da rua principal, bom atendimento e comida gostosa com opções de massas a um valor mais acessível. Pedimos um Nhoque recheado com queijo e molho a bolonhesa pra duas pessoas por R$ 70,00. Couvert artístico, R$ 10,00 por pessoa.

Rancho da picanha

Para os apaixonados por churrasco aqui tem boas opções de tábuas e porções com música ao vivo bem gostosinha. Em uma porção de iscas de tilápia + batata frita + bebidas + couvert artístico pagamos em torno de R$ 120,00.

Pianos Bar

Não planejamos parar por aqui, mas a chuva nos obrigou e ficamos agradecidos. Tem muita opção de tábua com elaborações diferenciadas (ex: picanha ao molho de pinhão). Os drinks daqui também chamaram muita atenção com várias opções e misturas inusitadas (ex: caipirinha de yakult). Nossa tábua estava com aquele sabor normal sabe? Nada muito diferenciado, mas gostoso. Os preços variam muito, porção batata frita R$ 30,00 , picanha R$ 100,00 e etc.

Sabor da Montanha

Também localizado na rua principal, pra nós, esse foi o café da tarde mais gostoso! O lugar parece a casa da vovó de madeira nas montanhas, as opções do cardápio são diversas com cafés, cappuccinos, Chai Latte, bolos e salgados.

Chai Latte e Capuccino Especial no Sabor da Montanha

Piparkukas

Esse lugar descobrimos no último dia e infelizmente já estávamos cheios de mais pra comer mais rs. Ele fica na galeria das flores lá no final (na rua principal). A foto fala por si só. Olha que lugar mais fofo!

Casa do pao de queijo

No meio da muvuca (centro, centro) ela oferece chocolate quente gostoso mais em conta e várias sobremesas diferentes pra experimentar.

Gressoney MV

Gressoney – Fábrica de chocolate

Fomos em uma noite que fazia bastante frio tomar um chocolate quente. O lugar é bem bonitinho mas sinceramente nos decepcionamos um pouco. A xícara de chocolate quente com cookies era minúscula custou R$ 16,00 e veio meio frio. Fora isso a colherzinha e o copo para água eram descartáveis o que não se adequava ao lugar tão chickzim. Mas ele é famoso, se quiser experimentar pode ser que você tenha mais sorte!

O que fazer?

Na internet está lotado de dicas das coisas mais populares como visitar as galerias, andar pela rua principal, fazer passeio de 4×4. Então aqui vou colocar o diferencial que não tinha visto ainda sobre Monte Verde.

Mirante e Lago do Green Mountains Hotel

Ficamos hospedados nesse hotel, mas já na porta tem placa falando que o acesso é gratuito.

Mirante

O mirante fica bem em cima da recepção e restaurante do hotel, uma estrutura de madeira em que o acesso é feito por escadas, bem fácil. Lá de cima a visão é de 360 da paisagem de Monte Verde, lindíssimo, foi nossa vista favorita da viagem toda!

O Lago

Saindo da recepção e descendo a rua que da  acesso a rodovia, tem uma plaquinha de madeira “Lago”, a direita. Dali até o lago são aproximadamente 30 minutos de trilha larga (com declive), parece que não vai chegar em lugar nenhum, mas a trilha da acesso a um lago bem lindo, com marrecos, hortênsias, araucárias e uma casinha fofinha, bem paisagem de filme. Uma paz… vale a pena!

Lago no Hotel Green Mountains

Hotel Meissnenhof

Entramos sem avisar e seguimos os caminhos das hortênsias, não encontramos com ninguém no caminho, mas acredito que é permitida a entrada de pessoas que não estão hospedadas. Aqui é bonitinho, mas só vale a pena se você já fez todo o resto de Monte Verde, nada muito surpreendente.

O caminho por si só já é fotogênico e tem uma paisagem bem mineira com uma igrejinha no topo de uma pedra e um balanço, continuando a trilha chega em umas cachoeirinhas. Não tivemos o privilégio de ver por que estava ameaçando chuva e preferimos não arriscar. Veja o hotel Aqui.

Lareira

Fazer uma lareira em Monte Verde foi sem dúvidas um dos programinhas mais legais (e românticos)!  Compramos a lenha em um vendinha na Av das Montanhas (mais barata que no hotel, R$ 8,00 o fardo), um quarteto de queijos curados de maneiras diferenciadas e vinho. Acredito que a maioria dos hotéis e pousadas tem lareira nos quartos, então foi só acender (nesse momento o acendedor de alcool é muitoooo importante rs). Nunca tínhamos feito antes, então apanhamos um pouco, mas deu certo. Assim, o friozinho das montanhas foi muito bem aproveitado!

Fabrica de chocolate

Visitar alguma fábrica de chocolate aqui é obrigatório! Como dito anteriormente, fomos na do centro: Gressoney, mas também visitamos uma mais no interior da cidade, o nome é Chocolateria Monte Verde– Fábrica de Chocolates (criatiiivooo rs). A fachada é lindinha! A fábrica em si é só um vidro dentro da loja onde uma pessoa fica trabalhando os chocolates (enformando, colocando recheio, etc). Sinceramente achei fraco, mas da pra comprar e experimentar sabores diferentes (tipo trufa de milho, capuccino, etc).

Vendinha escondida

Por último mas  não menos importante: as compras! Na lojinha onde compramos a lenha o senhor nos indicou a vendinha Rancho do Caipira (na rua do Bradesco), com os mesmos produtos das lojas da rua principal, mas com preços mais acessíveis. Não tem de tudo aqui como nas outras, mas o que tem, tem o preço um pouquinho melhor.

Última dica

Parada na estrada! A mais ou menos 3h de Monte Verde (sentido BH x Monte Verde) paramos na Cafeteria Grão da Terra. Recomendo! Lugarzinho rústico com café vencedor de prêmios, rede, ovelhas, coelhos, bem gostoso para uma pausa e descanso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo